Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sentir na Pele

alergias, manias e outras patologias.

Sentir na Pele

alergias, manias e outras patologias.

O Clube de Dallas

Vi no passado sábado mais um filme que esta na corrida aos Óscares!


Como todos sabem o filme fala sobre um machista mulherengo que sabe que contrariou do vírus da SIDA, em 1985.
Nesta altura era comum pensar que era um vírus contraído por homossexuais ... Pouco se sabia sobre terapias e formas de contagio....
É uma história sobre a vontade de viver que nos leva a uma transformação interior!

Penso que não o irei voltar a ver, porque não me convenceu...
Contudo fiquei surpresa com a interpretação de Jared Leto, a sério.. Impressionante a sua naturalidade que me levou a questionar se era uma personagem ou se aquela pessoa existe mesmo!
Sobre McConaughey, esteve bem, mas um pouco idêntico a outras personagens que interpretou... Tinha as expectativas um pouco altas, confesso!

Os filmes que vou ver!

Antes da tão aguardada noite dos Óscares existem filmes que não posso mesmo deixar de ver!

Por esta ordem de prioridade:

 

 “American Hostle”

 Acredito que deve ser o meu preferido, por tudo o que li na crítica, e pelo elenco.

 

  

 

“The Wolf of Wall Street”

 O meu irmão já viu e adorou... Mesmo sem ter visto “American Hustle” desconfia que vai ser muito difícil ultrapassar o Lobo! 

  

  

  "Dallas Buyers Club”

 estava para não o incluir na lista mas depois dos prémios nos SAG, (sindicato de atores) e depois do que li no sábado...vou ver 

 

 

  

 

O "12 anos escravo" já vi!

 

Vou deixar para mais tarde (até pode ganhar um destes...):

«Capitão Phillips»

«Her - Uma História de Amor»

«Filomena»

«Blue Jasmine»

 

Penso que não vou conseguir ver até ao fim: «Gravidade»... Sentir o pânico de estar no espaço sozinha...

 

Se entretanto forem ver algum destes filmes, partilhem a vossa opinião!!

 

 

 

12 Anos Escravo - No lugar do outro

Foi no passado dia 4 que fui ver o "12 anos escravo".

 

 

 

Devo dizer que os trabalhos feitos pelo Steve McQueen, me tem vindo a fascinar, é incrível o retrato que faz capaz de nos colocar dentro do filme.

Logo nos primeiros minutos somos enviados para um mundo estranho, onde parece natural e comum essa "estranheza" chamada de insensibilidade.

 

Conseguimos sentir a dor, a revolta, a frustração, a raiva...como se fossemos nos próprios as vitimas.

É um trabalho magnífico, somos levados a pensar e a refletir sobre a nossa própria existência. Chegando mesmo a conclusão que quantos escravos existem hoje e ninguém se importa, de quantas pessoas sofrem enquanto outras tentam arranjar dinheiro para comprar o ultimo produto da Apple...

É o nosso admirável mundo estranho

Cruel e desigual, que nos desumaniza a cada minuto.

 

Como é difícil, sentirmos como o outro e de vermos a realidade por outro prisma.

 

A importância de nos colocarmo-nos no lugar do outro sempre, em todos os momentos da nossa vida é a lição que trago.

 

Sobre a corrida aos Óscares, acho que o filme não chega lá:

Falta um final onde se sinta a saudade, a surpresa e a gratidão da família. O Final não condiz com o resto do filme.

 

As interpretações são violentamente profundas, diria realmente vividas! E aqui sim as estatuetas podem chegar para Chiwetel Ejiofor e para Michael Fassbender.

 

Devo também dizer que já faz alguns anos que a competição aos Óscares não apresentava um conjunto de filmes desta profundidade, como apresenta este ano.

 

Recomendo!