Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sentir na Pele

alergias, manias e outras patologias.

Sentir na Pele

alergias, manias e outras patologias.

O Lobo de Wall Street

Numa palavra: Vertigem

Ficamos colados ao ecrã, sentimos os olhos a ficarem cada vez mais abertos, a boca descai e por fim a mão tapa a boca!

É a loucura completa, uma bola de neve que é difícil de sair e que cada vez se torna maior.

É o estar sempre a um passo da ruína, emocional, relacional e profissional...

Mas o desejo de querer sempre mais, consome, e perdemos o controlo, parece que a única alternativa é continuar!

Um autentico Lobo que corre por mais "carne", que é pujante e feroz! Mas por quem conseguimos ter empatia e compaixão!

Leonardo DiCaprio, no seu melhor! A realização de Martin Scorsese, dentro do seu estilo e por isso muito bem feita.

Agora o tempo de filme foi demasiado! Para mim a historia tinha ficado bem contada numa hora e meia.

Os filmes que vou ver!

Antes da tão aguardada noite dos Óscares existem filmes que não posso mesmo deixar de ver!

Por esta ordem de prioridade:

 

 “American Hostle”

 Acredito que deve ser o meu preferido, por tudo o que li na crítica, e pelo elenco.

 

  

 

“The Wolf of Wall Street”

 O meu irmão já viu e adorou... Mesmo sem ter visto “American Hustle” desconfia que vai ser muito difícil ultrapassar o Lobo! 

  

  

  "Dallas Buyers Club”

 estava para não o incluir na lista mas depois dos prémios nos SAG, (sindicato de atores) e depois do que li no sábado...vou ver 

 

 

  

 

O "12 anos escravo" já vi!

 

Vou deixar para mais tarde (até pode ganhar um destes...):

«Capitão Phillips»

«Her - Uma História de Amor»

«Filomena»

«Blue Jasmine»

 

Penso que não vou conseguir ver até ao fim: «Gravidade»... Sentir o pânico de estar no espaço sozinha...

 

Se entretanto forem ver algum destes filmes, partilhem a vossa opinião!!

 

 

 

12 Anos Escravo - No lugar do outro

Foi no passado dia 4 que fui ver o "12 anos escravo".

 

 

 

Devo dizer que os trabalhos feitos pelo Steve McQueen, me tem vindo a fascinar, é incrível o retrato que faz capaz de nos colocar dentro do filme.

Logo nos primeiros minutos somos enviados para um mundo estranho, onde parece natural e comum essa "estranheza" chamada de insensibilidade.

 

Conseguimos sentir a dor, a revolta, a frustração, a raiva...como se fossemos nos próprios as vitimas.

É um trabalho magnífico, somos levados a pensar e a refletir sobre a nossa própria existência. Chegando mesmo a conclusão que quantos escravos existem hoje e ninguém se importa, de quantas pessoas sofrem enquanto outras tentam arranjar dinheiro para comprar o ultimo produto da Apple...

É o nosso admirável mundo estranho

Cruel e desigual, que nos desumaniza a cada minuto.

 

Como é difícil, sentirmos como o outro e de vermos a realidade por outro prisma.

 

A importância de nos colocarmo-nos no lugar do outro sempre, em todos os momentos da nossa vida é a lição que trago.

 

Sobre a corrida aos Óscares, acho que o filme não chega lá:

Falta um final onde se sinta a saudade, a surpresa e a gratidão da família. O Final não condiz com o resto do filme.

 

As interpretações são violentamente profundas, diria realmente vividas! E aqui sim as estatuetas podem chegar para Chiwetel Ejiofor e para Michael Fassbender.

 

Devo também dizer que já faz alguns anos que a competição aos Óscares não apresentava um conjunto de filmes desta profundidade, como apresenta este ano.

 

Recomendo!